Logo do Livro O ABC de um Mestre - Manual de Mapeamento das Emoções.

Bem vindos ao Portal 12.12

Livro O ABC de um Mestre – Manual do Mapeamento das Emoções – O Caminho para o Reconhecimento da Sagrada Presença Eu Sou

Post Bem vindo ao Portal 12.12

Bem vindos ao Portal 12.12

Quem somos? 

“A Grande Consciência Universal experimentando a inconsciência”. 

Queridas Almas em dias de Jornada Ascensional, estamos cada vez mais perto do Portal de saída desta dimensão, em que o aprendizado se conclui. 

Estamos a cada dia nos tornando mais expansivos e integrados em Unidade. Integrados na Unidade à qual pertencemos, encerrando assim o equívoco de separação que vivemos. 

Essa falsa ideia de separação fez com que a experiência fosse tão difícil, mas necessária, para se cumprirem os propósitos, em reconhecimento do que hoje sabemos que é o Amor. 

Essa ilusória separação nos fez acreditar em rivalidades, disputas e principalmente julgamentos em relação a tudo o que esteve fora de nós, ignorando que tudo o que é fora de nós chama-se espelhos.

Quanto tempo levamos até que pudéssemos compreender que tudo o que esteve ou está fora de nós e nos movimenta, em julgamentos, críticas, raivas, culpas, deboches e outras construções mentais, diz respeito a nós mesmos! 

Agora sabemos que levou o tempo da experiência que precisamos fazer, que agora se encerra. A chave para abrir a Porta de saída do jogo é compreender isso, agradecer aos espelhos, seguindo rumo à liberdade que tanto esperamos. 

Vamos, queridas Almas, é hora de soltar as velhas crenças, aproveitando o Portal 12.12, que para todos nós representa o findar tão esperado. Aproveitemos esse impulso cósmico como um presente generoso da Fonte do Amor de Deus! 

Não existe outra forma, os mestres (os espelhos) que se nos revelam a todo tempo, mostram-nos que os nossos conflitos internos são os mesmos que nos ofertam a liberdade que tanto buscamos. 

Reconhecer os padrões apresentados pelos espelhos, que muitas vezes queremos quebrar, são as nossas “curas”, através deles curamos a ignorância que temos sobre nós. 

Se soubermos olhar, compreenderemos que através desses espelhos podemos nos enxergar, reconhecendo todas as energias que viemos experimentar e assim nos liberarmos dos velhos padrões, assumindo nossa grandeza.

Não seria isso a compreensão da experiência? Ou o salto quântico?

A 3ª Dimensão é ilusão na totalidade. Saindo dela, tornamo-nos mais expansivos na forma de olhar o externo que tenta nos engolir a todo tempo, e cada vez mais nos fazendo escravos nessa velha dimensão. 

Banner livro O ABC de um Mestre

Quando compreendemos a experiência que realizamos aqui, não mais permitimos ser tocados por essas energias. 

Sugiro que pensem!

Reconhecendo os conflitos internos que os espelhos nos mostram o tempo todo, libertamo-nos do que não suportamos em nós e negamos. 

Ninguém poderá fazer isso por nós, criamos os conflitos o tempo todo a partir das emoções, e os espelhos nos mostram quais são esses conflitos. 

Nosso papel é apenas reconhecer e liberar, em gratidão, as lições que foram experimentadas e findadas nesse patético processo dual de separação.

Não arrogar certezas na ilusão é um sinal de inteligência, pois demonstra discernimento entre o joio e o trigo, e isso pode ser considerado supra inteligência. 

É o DESPERTAR! O olhar além do véu, reconhecendo a ilusão sem julgá-la e sem nos perdermos em melindres da personalidade egoica. 

Uma simples ação em que a energia da humildade se faz sempre presente. 

Estamos conseguindo nos soltar dos emaranhados de emoções que só agora demos conta de que eram nossas prisões, e isso nos tira da lei que nos fez prisioneiros por eras; caso não tivéssemos encontrado essas verdades, não conseguiríamos sair desse contrato prisional. Estamos no “momentum” de agradecimento, já que fazer parte do próprio desencarne em vida é um grande mérito, é uma maravilhosa conquista. 

Desencarne em vida? 

Devem estar a perguntar. 

Sim, estamos morrendo para esse passado, estamos morrendo em vida para tudo o que não somos, não deixaremos herança, não deixaremos nenhuma parte da nossa experiência sem o devido reconhecimento, isso garante a saída da roda do Samsara. Segundo Kardec, a desencarnação é o término de uma etapa em nossa jornada e o marco de regresso do Espírito ao seu verdadeiro plano. 

Essa crença limita a saída do jogo da ilusão! 

É a consciência que faz e experiência de “inconsciência”. 

Neste plano de terceira dimensão, com certeza a morte não nos faz voltar para a Fonte, mas permanecer no plano em que estávamos em frequências energéticas, que não é o nosso verdadeiro lar. 

A morte não nos torna conscientes, ela apenas encerra um ciclo de encarnação para abrir outro e continuar o jogo. 

A programação mental não compreende a si mesma, é preciso informá-la que a experiência de inconsciência é feita pela Consciência Universal. 

Compreendendo isso, a função do ego acaba; então sim, o retorno à conexão com a Fonte, em termos energéticos vibracionais acontece. 

Antes dessa compreensão é apenas um fractal experimentando a inconsciência por várias encarnações, preso nas próprias ilusões e velhas emoções. Já sabemos que a Lei da Graça Divina, que se sobrepõe à lei cármica, tem uma tratativa diferente da do Espiritismo sobre a volta para casa. 

Na velha energia, a explicação da nossa passagem pelo planeta Terra tem como proposta o retorno para essa dimensão de dor e medo, cuja roda não para. 

Nós mesmos é que alimentamos energeticamente o inconsciente coletivo com nossas emoções em desequilíbrio.

Felizmente a Lei da Graça encerra essa prisão de falsa liberdade, que o livre arbítrio sugere, para retornarmos em vida ao nosso verdadeiro Lar, a nossa vibração. Isso, até então, não só é, mas também foi, desconhecido por todos nós, e todos os segmentos, não só religiosos, mas também filosóficos, doutrinários, teóricos … 

Morrer não nos garante a liberdade, despertar sim! 

Por isso é importantíssimo soltar os velhos padrões e velhas informações cheias de crenças limitantes, que neste agora perde a validade e o sentido. 

São crenças que limitam o nosso caminhar, que neste momento precisa ser resoluto! 

Pela lei cármica, não existe a possibilidade de retorno ao Lar por um simples fato: o desencarne sem a devida consciência sobre as Verdades Divinas faz com que o desencarnado não saia da 4ª Dimensão inferior, depois que deixa o corpo físico. 

Esse continua preso nas emoções e comportamentos que veio experimentar, continua preso nessas energias, sem conseguir mudar a vibração, a frequência, para adentrar frequências mais elevadas e despertar do sono, permanecendo na ignorância da Luz que é. 

A diferença da lei cármica para a Lei da Graça é que a primeira, a velha energia, coloca-nos como eternos devedores de um débito do jogo dual, que jamais conseguiremos quitar, pois não nos oferece saída dos emaranhados cármicos, e assim ficamos cada vez mais presos, nessa roda do Samsara, em constantes idas e voltas intermináveis, buscando quitar tais débitos que nunca existiram. 

A dualidade (a matrix) e a ilusão de separação, com tudo o que foi experimentado até agora, estiveram sob a regência dessa terrível lei. E nossas energias de frequências baixas, com base em nossas emoções, garantem esses retornos centenas de vezes, sem conseguirmos sair desses emaranhados.

Em nome do Amor, é hora de cancelar e soltar esse sórdido contrato! Estamos amparados por essa Divina Lei que já foi precipitada em nosso planeta, liberando-nos da velha energia em que vivemos até esse momento. Somos livres! Essa é a verdadeira volta para casa. 

O retorno aos padrões espirituais mais elevados não se dá com a morte física, mas sim com a compreensão da experiência vivida do que viemos fazer aqui, dá-se por meio do despertar da Consciência Crística, e com a compreensão do Poder Divino que somos em totalidade. 

Banner Jesus Amado

Tudo o que experimentamos até hoje não diz nada sobre nós, mostra apenas o que viemos experimentar, mas não nos define em nenhum setor da nossa vida. 

É hora de nos lembrarmos do Potencial Divino que somos, deixando a timidez de lado, exercendo verdadeiramente o Poder Divino sobre o ego inconsciente, fazendo com que ele sinta que o jogo se finda e que já pode relaxar.

É desnecessário dizer que somos o reflexo da Alma, tudo é Deus, tudo é Alma, tudo é Amor, não se preocupem em provar o improvável! Muitos já perceberam um grande movimento energético acontecendo em seu próprio campo, como também externamente, já que tudo é manifestação. 

E como tudo o que está fora está dentro, vamos percebendo as mudanças. 

Observemos em que o coletivo nos afeta ainda! Se tudo é por ressonância e tudo é escolha, o que escolho agora? O desperto compreende todas as ações humanas como uma “experiência” de separação, permanecendo em total ressonância com a Unidade, a partir do não julgamento sobre essas ações. 

Por isso é salutar que estejamos atentos com a forma pela qual observamos o mundo externo, bem como o quanto ainda esse externo cria movimentos em nós, oferecendo as energias, e nós escolhendo, se queremos compartilhar ou não essas vibrações. 

O externo sinaliza o medo e a dor ou a Luz e o Amor. O número de humanos que sustenta essa nova energia cresceu muito, podemos agora reconhecer as vibrações pelas nossas ações, assim como o modo que interagimos com o mundo, dentro e fora de nós.

São as escolhas que fazemos que nos tornam representantes do Amor de Deus Pai-Mãe-Vida. Já experimentamos tudo em nível de dor, agora a experiência é outra: somos um potencial de irradiação energética totalmente conectados com a Fonte, isso é a volta para casa. 

O novo olhar acalma e cura muitas dores por frequência energética, nesse momento de separação. Por isso, olhem com os olhos de Deus! 

Ele olha através de nós, quando permitimos; Ele atua através de nós, quando nos disponibilizamos; Ele se revela em nós, quando o aceitamos em nosso coração. 

Quem entre nós não passou pela cegueira momentânea, esquecendo-se de quem se é em verdade? Vá lá e atire a pedra! 

Queridas Almas, quando pensamos em apegos, imaginamos que estamos apegados a pessoas e coisas à nossa volta, mas o nosso maior apego é a nós mesmos. 

Estivemos apegados a todas as nossas ilusões, é isso que precisamos soltar agora. Façam a si mesmos, cada um de vocês, uma pergunta: Quem é você? Se tiverem a resposta verão que nada é de vocês. É hora do voo e, como já falei, em outras informações, esse voo é solo e sem bagagem. 

Deus se experimenta através de nós, Deus sendo nós o tempo todo, e nós sendo Deus o tempo todo também. 

Estivemos em experimentação durante eras, experimentar a ação é experimentar o Amor, foi o que fizemos, e agora podemos considerar que já sabemos o que é essa energia, e o quanto a distância d’Ela nos adoeceu.

Deus não está aqui para resolver os nossos problemas, Ele está aqui para viver os nossos problemas, até crescermos em sua Força. Deus não está aqui para nos curar, Ele está aqui para que pudéssemos perceber a ilusão da doença que tanto nos prende de desafeto. Estamos no tempo de Deus, cujas palavras já não explicam, já não conseguem mais explicar o que sentimos em verdade, elas são limitadas nessa nova energia. 

Precisamos estar prontos para ouvir as revelações em silêncio da Voz do Amor. Não devemos nos esquecer dessa simples percepção sobre esse processo de Despertar a Consciência Crística: as nossas experiências não nos tornam menos ou mais divinos. 

O que nos diviniza é sermos verdadeiros com os propósitos da nossa Alma, isso sim revela a nossa verdadeira mestria. Estamos aqui por um propósito: Despertar e retornar à Energia Crística, o Amor. Sem essa consciência a vida não passa de um teatro sem fim, com suas cortinas corroídas pelo tempo, desfazendo-se até a ilusão de morte. 

Façamos o possível para fechar essas cortinas por conta própria! Sendo assim, queridas Almas, devo lembrá-los de que temos um belo caminho percorrido até aqui, para nos lembrarmos que pertencemos à Ordem Cósmica Universal. 

Foi um grande e maravilhoso trabalho! Atentem-se apenas em se lembrarem de que não há muito a ser feito agora, no campo coletivo, já trabalhamos bastante nesses mais de 30 anos. Agora é hora de autorrespeito, auto-observação, autorresponsabilidade. 

Não se esqueçam de se observar, de respirar e de sorrir! O resto a sua Alma faz. Com Amor e Verdade, Morada dos Mestres.

Bem-vindos ao Portal 12.12!

Encerramento Cármico.

Créditos:

  • Autora: Márcia Vasques
  • Revisora: Lúcia Miranda Rosa
  • Arte & Edição: Larah Vidotto

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Manual do Mapeamento das Emoções

O Caminho para o Reconhecimento da Sagrada Presença Eu Sou

plugins premium WordPress